Arquivo – Panorama

Março de 2013

Ouvir cinema: documentário musical e as situações óticas e sonoras puras em Isto é Noel de Rogério Sganzerla, por Régis Orlando Rasia

O documentário contemporâneo brasileiro como instrumento de mobilização social na abordagem de Fala Tu (2003), por Pâmela de Bortoli Machado

Fevereiro de 2013

Fotografia Audiovisual: As cores e a personagem Daenerys Targaryen no seriado GoT  por Monique Burigo Marin e Rafael Jose Bona

Antônia e o Feminino na Teledramaturgia Brasileira: concepções de gênero no discurso por Daniele Gross

Heroes e Nietzsche por Jean Raphael Zimmermann Houllou e Dilma Beatriz Rocha Juliano

Janeiro de 2013

Mundos flutuantes de Kawabata e Weerasethakul por Eduardo Madeira

Dezembro de 2013

A construção das vilãs na novela Sangue Bom e suas relações com o melodrama, por Amanda Rosasco Mazzini.
Aço: Efésios VI – XIV O reflexo cristão em “O Homem de Aço” por Luis Broleze

Novembro de 2013

A iluminação no cinema silencioso, por Amanda Rosasco Mazzini;
Cenografia em cinema e teatro: Pina, de Wim Wenders, por Gabriela Lopes Akashi;
O Roteiro Cinematográfico: um ser em simbiose, por Ana Johann.

Outubro de 2013

Lisbeth Salander e Lisbeth Salander: Visões de uma mesma personagem por Vitor Domingues Cordeiro.
As principais influências dos quadrinhos na trilogia cinematográfica “O Cavaleiro das Trevas” por Marcelo Félix Moraes.

Setembro de 2013

 Teoria feminista e Voyeurismo em “Má Educação”, de Pedro Almodóvar, por Cecília Mazeto;
A Noiva Estava de Preto e Independência da Personagem Feminina no Cinema, Amanda Rosasco Mazzini.

Agosto de 2013

O vale da memória: ensaio sobre memória e narrativa em Narradores de Javé, por Jorge Henrique da Silva Romero e Carolina Melania Ramkrapes.

Julho de 2013

Lyric video: uma nova estética de divulgação da música pop, por Michele Kapp Trevisan e Rafael de Jesus;
A Comunicação Tecnoestética em Textualidades Videográficas Contemporâneas: mídiamorfose corporal em Boom Boom Pow, por Cristiane Wosniak;
Babyvamp: a relação entre público e personagem na série “True Blood”, por João Carlos Massarolo e Letícia Ferreira de Souza;
Anonymous e o Ativismo Contemporâneo nas Redes Midiáticas, por Dario Mesquita e André Sanches.

Junho de 2013

The Sacrifice: análise da narrativa transmidiática entre quadrinhos e jogos eletrônicos, por Lucas Scalon;
Um caminho duplo de interferência: reflexões sobre interações entre a linguagem cinematográfica e a linguagem do videoclipe, por Rodrigo Oliva;
Pearl Harbor: manifestação de valores axiológicos no cinema, por Nildo Viana e Verônica Martins Moreira.

Maio de 2013

A estética de Brillante Mendoza: Neorrealismo no cinema independente contemporâneo, por Márcio Renato Costa.

Abril de 2013

Vanguarda russa e sentidos da montagem em O sábio e A greve de Sergei Eisenstein, por Jorge Henrique da Silva Romero;
As grandes metrópoles no cinema modernista, por Tereza Azambuja.

Março de 2013

Quando o Cinema Suspira: E la Nave Vapor Roberto Acioli de Oliveira;
O interpretante imediato e dinâmico no filme Rangopor Juliana de Souza;
Da especificidade da narrativa animada: sobre o individualismo como valor no desenho Bob Esponja Calça Quadradapor Francisco Cleiton Vieira Silva do
Rego.

Fevereiro de 2013

Análise Genética do Filme Príncipe da Pérsia: As areias do tempo, por Gustavo de Castro Linzmayer;
A Produção Filmográfica de Victor Sjöström na Suécia e em Hollywood: diferenças estéticas e narrativas, por Lucas Vicensotto Trofino;
Vittorio Storaro, por Marco Sartori;
O sujeito parcial em Cisne Negro, por Jéssica Agostinho.

Janeiro de 2013

Experimentando o Cinema: notas e reflexões sobre o cinema de vanguarda, por Tereza Azambuja;
O Jogo Illusion of Gaia e o Gênero RPG nos Videogames, por Gustavo de Castro Linzmayer.

Dezembro de 2012

A Sinopse Visual – O Fenômeno Crossmedia dos trailers literários, por Ian Costa Cavalcanti;
A Fita Branca e o Sujeito Cinematográfico, por Marina Azzi Nogueira;
A ética participativa de Werner Herzog em seus documentários, por Gabriel Tonelo;
Serguei Eisenstein e os Outros: Prós e Contras, por Roberto Acioli de Oliveira.

Novembro de2012

A política dos autores nas obras de Terrence Malick, por Fernanda de Oliveira Santos Costa;
Serguei Eisenstein e o Cinema da Revolução, por Roberto Acioli de Oliveira;
A Representação do objeto ventilador no filme O Palhaço, por Vanessa Paula Trigueiro Moura;
As tensões entre cinema e literatura: uma leitura de Estorvo, de Ruy Guerra, por Alfredo Werney.

Outubro de2012

Representação semiótica de René Magritte dentro do filme (500) Dias com Ela, por Rafaela Bernardazzi Torrens Leite;
Angústias, Medos, Amores: uma correlação entre a obra pictórica de Francis Bacon e o filme “Love is the Devil: Study for a Portrait of Francis Bacon ,por Adriana Rodrigues Suarez;
Teorias Cinematográficas aplicadas ao filme “A Pele que Habito”, por Virgínia Jangrossi;
A Representação Fílmica de Joana D’Arc, por Lucas de Castro Murari.

Setembro de 2012

O efeito do Real em Festa de Família, por Fernanda Sales Rocha Santos
A estereoscopia na linguagem cinematográfica: uma análise histórica de diferentes elementos da linguagem fílmica,
por Gustavo Boehs e Milton Vieira
Do Expressionismo Alemão ao Expressionismo Americano, por Lucas de Castro Murari
Dziga Vertov: Um cineasta e sua revolução particular, por Roberto Acioli de Oliveira

Agosto de 2012

Lev Kulechov: O Ilustre e Desconhecido Homem do Efeito, por Roberto Acioli de Oliveira;
“Beleza Americana”: desconstrução ou reafirmação do American Way of Life?, por Raphael Moroz Teixeira;
A noção do todo no cinema, para Gilles Deleuze, por Virgínia Baumhardt;
A personagem no documentário de Eduardo Coutinho, por Virgínia Baumhardt.

Julho de 2012

A Câmera Vive – O realismo e a posição do sujeito no Cinema dos Irmãos Dardenne, por Thiago de Souza Jacot;
Enter the void: o olho privado e seu duplo, por Lucas Scalon;
O Czar e a Sétima Arte: Cinema Russo Antes da Revolução, por Roberto Acioli de Oliveira.

Junho de 2012

Diferente dos Outros: Quando a Alemanha Saiu do Armário, por Roberto Acioli de Oliveira;
Vidas Secas e a estética da escassez, por Adriano Lobão de Aragão;
O ator inadequado: a crise da performance masculina em Crime Delicado, de Beto Brant, por Paulo Roberto Ferreira de Camargo.

Maio de 2012

A vanguarda feminina no cinema, por Roberto Acioli de Oliveira;
O Silêncio dos Inocentes: aplicação de um método de análise, por Gustavo Aguiar;
A luta pela sobrevivência nas grandes cidades representada em “Pizza, Birra, Faso” (1998) e “La Sombra del Caminante” (2004), por Lívia Fusco Rodrigues.

Abril de 2012

Diálogos entre cinema e literatura: a tradução isotópica de Vidas Secas, por Alfredo Werney;
O Impressionismo Francês no Cinema, por Heloá Pizzi Mauro e Lucas Scalon;
Fausto e Mefistófeles Segundo Murnau, por Roberto Acioli de Oliveira;
No Decurso do Tempo (1976), de Wim Wenders: análise das matrizes do road movie na sequência inicial do filme, por Gustavo Aguiar.

Março de 2012

Notas Sobre o Cenógrafo Mudo, por Roberto Acioli de Oliveira;
A Grande Parte do Arquivo: agenciamentos na composição de narrativas documentárias em Civelli, Bernadet e Sganzerla, por Régis Orlando Rasia;
Análise fílmica de Frankenweenie, por Amanda de Castro Melo Souza e Gabriel Ribeiro Alfredo;
Telenovelas: um panorama da produção brasileira e a representação do negro, por Fernanda Costa, Jessica Sayuri, Mariana Merlim, Melina Simardel Dantas, Tarine Camargo e Virgínia Jangrossi.

Fevereiro de 2012

William Wilson: Da Literatura para o Cinema, por Carine Lorensi;
A Primeira Onda do Cinema Francês, por Roberto Acioli de Oliveira;
Dois Perdidos numa noite suja: Uma transcriação do Teatro para o Cinema, por Ramon Mattos Câmara e Lilian Maria Fleury Teixeira Dória;
“MundoBraz”: interpenetrações da mundialização no cinema da retomada, por Eduardo Dias Fonseca.

Janeiro de 2012

Caligari e o Expressionismo Alemão: O Contexto de Um Cinema Alucinante, por Roberto Acioli de Oliveira;
As Indústrias Culturais e sua Reconfiguração na Era Digital,por Náyady Karyze Oliveira Nunes Da Silva;
“Bob Esponja Calça Quadrada, Que Bob? Que Calça?” O Desenho Animado como Problema Conceitual por Francisco Cleiton Vieira Silva do Rego.

Dezembro de 2011

A Revolução do Direto: Estudo sobre o Cinema Direto, por Gleydson Públio Azevedo;
Fassbinder em Petra von Kant, por Roberto Acioli de Oliveira.

Novembro de 2011

O Marcello de Mastroianni, por Roberto Acioli de Oliveira;
As Lacunas e o Invisível “Entre os Muros da Escola”, por Patrick Diener;
A Linguagem das Imagens, por Mariana Polo Garotti e Marilia Abrão Rezende;
E quando o “outro somos nós”? O estereótipo do Brasil e do brasileiro no audiovisual, por Régis Orlando Rasia.

Outubro de 2011

Casanova de Fellini e o Infantilismo Italiano, por Roberto Acioli de Oliveira;
Método Indiciário como percurso metodológico: Um estudo sobre o documentário “O Fim e o Princípio” de Eduardo Coutinho, por Bianca Costa e Roberto Dornelles;
“Eu já me tornei imagem”: Vídeo etnográfico e as múltiplas relações com o xamanismo, por Vandimar Marques Damas;
Cabrera e o conceito-imagem: possibilidades de abordagem do audiovisual, por Lázaro Barbosa.

Setembro de 2011

Olhando Kielowski e Hitchcock: Questões do olhar e da representação no cinema, por Gustavo Aguiar;
Robert Bresson e Balthazar, por Roberto Acioli de Oliveira;
Mas Afinal, a Baiana é Mesmo da Bahia?, por Glauco Menta;
Fotografia, cinema e o digital: as alterações da imagem, por Débora Regina Taño.

Agosto de 2011

O Triângulo Amoroso de Jean Eustache, por Roberto Acioli de Oliveira;
O Multiculturalismo em “Babel”, por Débora Regina Taño;
Análise da Teoria Feminista em filmes contemporâneos, por Gabriel Ribeiro Alfredo;
As Narrativas Do Gênero De Ilha Com Sintomas da Contemporaneidade: Atlântida, a Invenção de Morel e a Modernidade líquida em Lost, por Francisco Beltrame Trento.

Julho de 2011

Ingmar Bergman e a Vida de Casado, por Roberto Acioli de Oliveira;
A sátira sem limites de South Park, por Wanderson Lima;
Carmen Miranda em Hollywood: vestindo formas, cores e culturas, por Glauco Menta.

Junho de 2011

As Deusas de François Truffaut, por Roberto Acioli de Oliveira;
Ivan Cardoso e Torquato Nosferatu: O Super 8 Trerrir na Marginália 70, por Flávio Rogério Rocha;
Alejandro Iñárritu ou o vício pelo trágico, por Alfredo Werney.

Maio de 2011

A Chinesa e o Cinema Político de Godard, por Roberto Aciole de Oliveira;
O Cinema Gigantesco: O Imax, por Eduardo Pires Christofoli;
Bernardo Bertolucci e o autor no cinema, por Ivan Amaral dos Reis;
Discussão sobre o texto de Timothy Corrigan “Genre, gender and histerya: the
road movie in otter space”, por Gabriel Ribeiro Alfredo, Mário Golçalves Neto, Raíza Carvalho e Thomas Canton;
A Trilha Tortuosa de Gustavo Santaolalla, por Alfredo Werney.

Abril de 2011

Travessuras de um menino mau: o Pica-Pau (Woody Woodpecker), por Wanderson Lima;
Sin City – Analise comparativa versão Quadrinhos e versão Cinema, por Eduardo Rodrigues;
As Mulheres de Luis Buñuel, por Roberto Acioli de Oliveira;
Ringue e Superação nas telas: “O Vencedor” e “Menina de Ouro”, por Vitor Vila Verde;
O Eros de Antonioni: Análise da última obra de um grande diretor, por Régis Orlando Rasia.

Março de 2011

“As Novas Representações do Sertão no Cinema Brasileiro”, por Gabriel Ribeiro Alfredo, Patricia Christina Marques Castilho e Marilia Abrão Rezende;
“Luis Buñuel, Incurável Indiscreto”, por Roberto Acioli de Oliveira.

Fevereiro de 2011

A Retomada do Gênero Musical, por Amanda de Castro Melo Souza, Nicole Santaella, Patrícia Castilho, Pedro Garcia e Zoe Sá Dall’Igna;
Roma de Pasolini, por Roberto Acioli de Oliveira.

Janeiro de 2011

Arcaísmo e Cinema no Evangelho de Pasolini, por Roberto Acioli de Oliveira;
Muitas histórias, uma trama, por Henrique Dias Soares de Barros;
O cinema da Boca e as Pornochanchadas, por Marcella Grecco;
O cinema Metalingüístico de Rogério Sganzerla, por Amanda de Castro Melo Souza.

Dezembro de 2010

Cinema Publicitário Automobilístico no Brasil, por Alan Ferreira, Mario Gonçalves, Raiza Carvalho e Thomas Canton;
Direitos Autorais no Audiovisual, por Alexandre Sousa Leopoldino e Marília Abrão Rezende;
Film Noir, por Daniele Alves Arruda, Edilaine Ferreira Leandro, Gustavo Henrique dos Santos Aguiar, João Alfredo Alineri Ramos, Mariana Moretto e Lívia Teixeira Duarte;
Kieślowski e o Outro Mundo, por Roberto Acioli de Oliveira.

Novembro de 2010

O Contraste entre o Formalismo de Eisenstein e o Realismo de Bazin, por Marcelo Félix Moraes;
Sergio Leone e a Trilogia do Homem Sem Nome, por Roberto Acioli de Oliveira.

Outubro de 2010

Algumas Mulheres de Fellini em A Doce Vida e Amarcord, por Roberto Acioli de Oliveira;
O Expressionismo e o Kammerspielfilm em A Última Gargalhada de Murnau, por Marcelo Félix Moraes;
A Torre Negra – Nasce um Pistoleiro: Adaptação de livro para os quadrinhos, por Paula Ribeiro Alves Ferreira.

Setembro de 2010

Análise do Livro “As Tecnologias da Inteligência” de Pierre Lévy, por Gabriel Ribeiro;
Bastidores espaciais em Matrix, por Geraldo de Lima;
Japão Pop Movie, por Eduardo Pires Christofoli.

Agosto de 2010

As novas câmeras HD e seu uso, por Adriano Barbuto;
O cinema (des)educativo do Estado Novo, por Paula Monteiro Siqueira;
Realismo Fantástico nas Canções de “La Teta Asustada”, por Henrique Dias Soares de Barros;
Vôo United 93: Ficção construída na linguagem documental, por Thales Figueiredo.

Julho de 2010

As asas de Jacques Rivette: Le Pont du Nord e Céline et Julie vont en bateau, por Matheus Chiaratti;
Claude Debussy e os alicerces da música moderna ocidental, por Thiago Gonçalves;
Festa de Família, Os Idiotas e o Dogma 95, por Vitor Vilaverde;
Maus: a Caricatura do Holocausto, por Paula Monteiro Siqueira;
PEQUENA MISS SUNSHINE e JUNO: a modernização do núcleo familiar no melodrama, por Alvaro André Zeini Cruz.

Junho de 2010

Chris Marker e Wim Wenders na Tóquio dos anos 80, por Regiane Ishii;
Cinema e Estado, por Maria Cristina Couto Melo;
Joe: mutação e leveza, por Ígor de Oliveira Cordeiro;
Produção de arte & algumas histórias, por Mari Sugai.

Maio de 2010

Ilha do Medo e Vício Frenético, por Álvaro André Zeine Cruz;
Querô, do livro para as telas, da tela para o público, por Vitor Vilaverde.

Abril de 2010

O segredo dos olhos do cinema argentino, por Adriano Barbuto;
Audiovisual, arte mestiça, por Patrícia Dourado;
Desejo e Reparação: a música na esfera do fantástico, por Alfredo Werney;
Cinema em primeira pessoa, por Henrique Finco.

Março de 2010

Um cinema listado, por Matheus Chiaratti;
Políticas do Corpo, Parte 1: A subversão da matéria no cinema de Lucrecia Martel e Claire Denis, por Arthur Tuoto;
A relação do Cinema com Melodrama e a Novel Inglesa, por Henrique Dias.

Fevereiro de 2010

Canto do povo de um lugar: A obra de Chris Marker e os movimentos sociais, por Tainah Negreiros;
Boca de lixo, por Wanderson Lima.

JANEIRO de 2010

A educação audiovisual como prática da liberdade: um paralelo entre F for Fake e Sobre Verdades e Mentiras, por Felipe Carrelli;
Begotten: o mito, a imagem e a carne, por Gabriel Costa Correia;
Fragmentos de identidades unificados pela língua, por Aline de Oliveira Penna.

Dezembro de 2009

Mídia Revolucionária: a mídia alternativa no movimento zapatista, por Alejandro Reyes-Arias;
Educação Popular e Coletivos de Vídeos: diálogos e ações, por Djalma Ribeiro Junior;
Diferentes proposições no atual cinema chileno, por Regiane Ishii.

Novembro de 2009

A direção de arte na estruturação da narrativa, por Verônica Ramalho;
Para pensar o autor no cinema, por Bruno Carmelo;
O Universo de Bob Esponja: ingenuidade, idiotice e poesia, por Wanderson Lima;
Arte e Kitsch nas Histórias em Quadrinhos, por Leonardo Rovina Fuzer e Priscila Limonta Carvalho.

Outubro de 2009

Imagens, sintomas e questões de um tempo: A condição masculina a partir de um certo cinema americano contemporâneo, por Tainah Negreiros;
As armadilhas da fortuna, por Wanderson Lima e Alfredo Werney;
Mulheres à beira de um ataque de nervos – escolhas estilísticas (cor e quadro), por Juan Ignácio Garcia Chicote e Matheus Chiaratti;
Parte da sociedade como um todo, por Felipe Carrelli Sá Silva.

Setembro de 2009

O Homem Subterrâneo em Paulo Honório e Alejandro, por Henrique Dias Soares de Barros;
Entendendo a Lei Rouanet, por Felipe Carrelli;
Poéticas da Espontaneidade: Novos formatos, Novos olhares, por Arthur Tuoto;
Adaptações literárias e o cinema de autor no Cinema Novo, por Raoni Reis Novo.

Agosto de 2009

Zabriskie Point: tempo e narrativa, por Maria Cristina Couto;
Além de uma nação, por Henrique Dias Soares de Barros;
Tarnation, por Lucas Mingoti Trabachini;
Propostas para uma (outra) crítica de cinema, por Bruno Carmelo;
O acontecimento anacrônico em As Horas, por Henrique Dias Soares de Barros.

Julho de 2009

Alegoria e Arte em Terra em Transe e A Idade da Terra, por Maria Cristina Couto;
Da relação entre os signos sonoros e visuais do cinema: uma análise da construção musical de Psicose, por Alfredo Werney;
Audiovisual e Educação, por Felipe Carrelli;
Um olhar sobre a direção de atores de Guel Arraes, por Lígia Borba;
Memória e narrador – lembranças na narrativa de “A Era do Rádio”, por João Henrique Tellaroli Terezani.

Junho de 2009

O cinema de Chris Marker como uma reflexão contemporânea sobre a memória, por Tainah Negreiros;
André Bazin e o western: idéias do crítico francês sobre o gênero, por Renato Coelho;
Uma mensagem, diversos retratos, por Suzana Altero Bispo;
Lucrecia Martel em O Pântano, atmosferas do invisível, por Matheus Chiaratti.

Maio de 2009

Festen: Uma nova estética, uma nova montagem, por Matheus Chiaratti;
The Happening: uma viagem ao desconhecido, por Alfredo Werney;
Quem precisa de um Cinema Brasileiro?, por Júlio César dos Santos;
O deslumbre tecnológico de produção no cinema brasileiro dos anos 1950/1960, por Adriano Barbuto;
Estéticas do Afeto: da Confissão ao Cine-diário, por Arthur Tuoto.

Abril de 2009

Vingue tudo mas deixe um só de meu olhos (2005) – Avi Mograbi (Israel), por Felipe Carrelli;
Western spaghetti e o Techniscope, por Adriano Barbuto;
A Outra Fome: O exercício de olhar sobre a juventude contemporânea no cinema de Gus Van Sant, por Tainah Negreiros;
Andrei Tarkovsky: Notas sobre O Espelho e Stalker, por Luiz Gustavo Palma, Marcos Botelho Jr, Matheus Montandon Cury, Nilo Mortara e Thiago Phelipe;
Síndromes da Observação, por Arthur Tuoto.

Março de 2009

Candinho: A construção do espaço narrativo através da relação imagem-som, por Kira Pereira;
A Pele – Um Retrato Imaginário de Diane Arbus, por Ana Caroline Bittencourt;
Internet killed the Video Star?, por Michele Kapp Trevisan;
O milagre de Apocalipse, por Suzana Altero.

Fevereiro de 2009

Cem filmes para uma cinemateca ideal: considerações sobre a questão do gosto na crítica de cinema, por Bruno Carmelo;
O Filme Noir, por Felipe Abreu e Silva;
Fragmentos sobre o cinema francês, por Caroline Rodrigues;
La Jetée: a memória interior no tempo, por Matheus Chiaratti;
A crítica de Ismail Xavier: dos jornais aos estudos acadêmicos, por Isabella Mitiko Ikawa Bellinger.

Janeiro de 2009

Como Histoire(s) du Cinéma sintetiza as idéias de Godard?, por Caio Otagaki, Felipe Carrelli, Joji Kussunoki Filho, Juliano Parreira e Suzana Altero Bispo;
A câmera cinematográfica como instrumento de suicídio em O Homem Urso, por Felipe Carrelli;
Estudo dos créditos cinematográficos e dos seus efeitos a partir da relação com a diegese fílmica, por Thiago Rigolino;
Kedma, por Suzana Altero;
Lost Girls, por Roger Mestriner.

Dezembro de 2008

Forma e sociedade Glauber Rocha, por Wanderson Lima;
O Homem Elefante, por Camila de Carvalho Alves;
Os filmes de Gus Van Sant, por Celso Moretti, Diego Anami, Eduardo Palazzo, Lucas Mingoti e Marco Umeki;
Darren Aronofsky: O filme sentido em carne viva, por Caio Otagaki, Felipe Carrelli, José Eduardo Ruiz, Juliano Parreira e Suzana Altero;
Análise fílmica: O Anjo Azul, de Josef von Sternberg, por Juliana Panini.

Novembro de 2008

Jurando vingar: anotações sobre a cópia em nitrato, por Luciana Corrêa de Araújo;
Corpo e olhar: a violência na representação da violência, por Juliana Panini;
Glauber Rocha e Pasolini: quando o primeiro e o terceiro mundo se confundem no cinema, por Matheus Chiaratti;
As fotografias de Jeff Wall: “o dia-a-dia é um efeito especial”, por Regiane Ishii;
Festival 2 minutos: A Sustentabilidade retratada em cento-e-vídeo segundos, por Hylio Laganá Fernandes, Alissandra Nazareth de Carvalho, Viviane de Melo Mendonça, Renata Saito, Paloma Chagas, Samuel Dal Medico, Vitor Guerra e Alissandra Nazareth de Carvalho.

Outubro de 2008

O Estilo de Wong Kar-Wai, por Diego Y. Anami;
Leituras da gula: “O cozinheiro, o ladrão, sua mulher e o amante” (1989), de Peter Greenaway, por Raphael Fonseca;
A bomba atômica do cinema, por Adriano Barbuto;
“Losing my religion”: “Ensaio sobre a cegueira” e “Wall-E”, por Raphael Fonseca;
A caosmótica arte brasileira, por Caroline dos Santos Rodrigues;
A sagração da realidade, por Wanderson Lima;
Televisão digital e o conteúdo interativo, por Felipe Januzzi.

Setembro de 2008

Veludo e Cidade Lynchianos, por Juliana Panini;
Wim Wenders, por José Eduardo Ruiz e Luiz Gustavo Palma.

19º Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo

Mostra Brasil, por Iuri Leonardo dos Santos;
Mostra Internacional: Curtas romenos, por Larissa Cardoso;
Programa Mix Brasil, por Jun Yassuda Júnior.

Agosto de 2008

Fernando Solanas, por Suzana Altero;
Vidas Secas, a incomunicabilidade no livro e no filme, por Diego Anami;
John Williams e Spielbeg: como a música e o cinema, por Luiz Gustavo Belezoni Palma;
Eu te Apresento, por Adriano Barbuto;
Documentário, por Suzana Altero.

Julho de 2008

O não limite da Imagem – Entrevista com Rodrigo Novaes, por Matheus Chiaratti;
Made in England, por Felipe Diniz;
Michel Gondry e a convergência de mídias, por Roger Mestriner;
A Ideologia nos filmes de guerra – o cinema como meio, por Edmundo Lobassi;
American Splendor: interlocução de linguagens e a HQ filmada, por Juliana Panini.

Junho de 2008

Cartola: no Cinema e no Cenário Atual e Pureza do samba: grupo Bola Sete, por Eduardo Calbuci e Maristela de Camargo;
Cristina Buarque e Terreiro Grande – autêntica roda de samba em CD, por Eduardo Fiorussi;
Carmen Miranda: tiquetaque transétnico, por José Gatti;
A direção de fotografia e o “Doce de Coco”, por Adriano Barbuto;
A permanência do faroeste, por Josette Monzani;

Ingmar Bergman e a Vida de Casado por Roberto Acioli de Oliveira

A sátira sem limites de South Park por Wanderson Lima

Carmen Miranda em Hollywood: vestindo formas, cores e culturas por Glauco Menta