Drive (Nicolas Winding Refn, 2011)

por Tatiana Carniato*

Poster americano do filme "Drive"

Drive é um filme que quando acabar você vai querer assistir de novo. O filme do premiado diretor dinamarquês Nicolas Winding Refn conta a história de um rapaz (Ryan Gosling) que durante o dia trabalha como dublê de filmes de ação dirigindo carros durante cenas de perseguição, e durante a noite oferece seus serviços de motorista para assaltantes na hora da fuga. Esse jovem conhecido apenas como “O Motorista” (seu nome nunca é revelado durante o filme) é um sujeito de poucas palavras, que vive de maneira solitária e que executa suas ações de maneira muito calculada, não dando margem para erros, até que um dia presta ajuda a sua vizinha Irene (Carrey Mulligan). Ele acaba se envolvendo com ela e seu filho Benício (Kaden Leos). As coisas se complicam quando o pai do garoto, que estava preso, é solto em condicional, devendo favores para outros bandidos que querem que ele os ajude em um assalto ameaçando Irene e Benicio se ele não o fizer. Então “O Motorista” decide ajuda-lo, para que nada aconteça com sua família, no entanto, tudo dá errado e acaba desencadeando uma espiral de violência.

Ryan Gosling e Carey Molligan contracenam no novo filme de Nicolas Widing Refn

O filme é dirigido com mão firme por Refn e é tão conciso e estiloso quanto seu protagonista, todas as cenas trazem algum desenvolvimento relevante, desde as perseguições de carro e as cenas mais violentas (que nos dão um vislumbre na psique do misterioso personagem principal) quanto às cenas mais quietas, como um olhar ou um aperto de mão. A trilha sonora, escrita por Cliff Martinez (ex-baterista do Red Hot Chili Peppers) também merece destaque, contando com canções – muito poderosas e em momentos chave do filme – além da maravilhosa trilha instrumental. O elenco coadjuvante também é muito bom, contando com os talentos de Carrey Mulligan, Bryan Cranston e Albert Brooks , que ganhou uma indicação ao Globo de Ouro por interpretar um mafioso que acaba sendo o principal antagonista do “Motorista”. Porém o filme é mesmo de Ryan Gosling, aliás o ano de 2011 foi do ator, que protagonizou também a comédia Amor a toda Prova e o drama Tudo pelo Poder (tendo sido indicado ao Globo de Ouro pelas atuações em ambos os filmes). Em Drive ele entrega mais uma interpretação maravilhosa, com uma intensidade cortante, que torna o personagem extremamente interessante, e nos desafia a tentar decifrar suas intenções e seus sentimentos durante todo o filme. Drive é com certeza um dos melhores filmes do ano. Absolutamente imperdível.

Tatiana Carniato* é graduada em Ciências Sociais na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Author Image

RUA

RUA - Revista Universitária do Audiovisual

More Posts

3 Comentários para: “Drive (Nicolas Winding Refn, 2011)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>